Esporte

Grande Jogada

Rafael dos Anjos dá aula contra Lawler e cobra promessa de disputa de cinturão

17 de dezembro de 2017

Foto: Gettyimages

O ex-campeão dos pesos-leves (até 70,3kg), o brasileiro Rafael dos Anjos comprovou mais uma vez na madrugada deste domingo que tomou a decisão correta ao subir para os pesos-meio-médios (até 77,1kg). Contra um ex-campeão da categoria e segundo colocado do ranking, o americano Robbie Lawler, o lutador niteroiense teve uma atuação maestral, que lembrou a que lhe garantiu o cinturão do Ultimate em 2015 contra Anthony Pettis, e conquistou a vitória por decisão unânime (triplo 50-45), sem perder nenhum round, no evento principal do “UFC: Lawler x Dos Anjos”, em Winnipeg, Canadá. É a terceira vitória consecutiva de Rafael, todas sobre adversários bem ranqueados, e ele cobrou de Dana White, presidente do UFC, sua promessa de ser o próximo desafiante ao campeão Tyron Woodley.

– Estou muito feliz. Estou neste jogo há tanto tempo, e para mim hoje à noite foi um prazer enfrentar este guerreiro. Minhas mãos estão doendo porque a cabeça dele é muito dura. Eu senti que ele estava aguentando meus golpes, mas sou abençoado por ter caras como meus treinadores na minha equipe. Eu acabei de ganhar do cara mais duro da divisão. Acho que pela minha história na organização e pelo que fiz hoje, mereço a chance pelo cinturão – afirmou Rafael dos Anjos.

A luta

Rafael começou respeitando o poder de Lawler, mas logo passou a andar para frente e apostar em chutes baixos. Lawler tratou de mostrar que o brasileiro deveria respeitá-lo e soltou duros cruzados, que acertaram seu rosto de forma perigosa. Rafael não se intimidou e, apesar de mais cauteloso, seguiu golpeando. Seu chute baixo na perna da frente mostrava bastante eficiência – ele o usaria por toda a luta para minar a base do adversário. Quando Lawler tentava encurralar na grade com cruzados, Rafael agarrava seu pescoço num clinche do muay thai. Num deles, acertou boa sequência de joelhadas no corpo. Em outra, o clinche foi mais uma tática de defesa para os duros cruzados do americano, e os dois trocaram joelhadas.

Lawler voltou a andar para frente e tentar encurralar Rafael no início do terceiro round. O brasileiro contragolpeou bem, mudou de nível e derrubou o americano com um double leg. Lawler caiu sentado, e Rafael não conseguiu colocar suas costas no solo. O americano se levantou, mas teve dificuldades para se desvencilhar do clinche. Rafael acertava duras joelhadas na linha de cintura, e Lawler apostava em ganchos curtos no corpo. Ele também acertou um upper por dentro. Lawler enfim se soltou com um minuto restando no round, mas se desequilibrou com um empurrão do brasileiro e caiu para trás. Rafael aproveitou e foi para cima, fazendo peso sobre o adversário. Em vantagem na meia-guarda, o carioca conectou duras cotoveladas na cabeça, e ainda ameaçou laçar seu pescoço antes do fim do assalto.