Política

Vereador espera que greve geral dê resposta à altura contra as reformas da Previdência e Trabalhista

26 de abril de 2017

marcos-henriques (1)O vereador Marcos Henriques (PT) confirma a participação de diversas categorias na Greve Geral e espera que grevistas respeitem os estabelecimentos que venham a abrir, sem ocasionar violência em João Pessoa. A mobilização acontecerá na próxima sexta-feira (28), com ato público no Ponto de Cem Réis, no Centro da Capital.

Leia também: Greve geral deve paralisar ônibus e trens de João Pessoa na próxima sexta-feira

Segundo o vereador, os trabalhadores de vários municípios paraibanos também estarão participando do ato. “Vem vários trabalhadores tanto do campo quanto da cidade e às 14 horas nos estaremos reunindo todos os trabalhadores no Ponto de Cem Réis para fazermos um grande ato público. Não existe nada melhor do que a mobilização popular para direcionar as ações, afinal de contas, o legislativo e o executivo olham muito para o que as ruas dizem. É importante que nesse momento a resposta seja dada à altura”.

Marcos espera que todos os estabelecimentos fiquem fechados para evitar qualquer tipo de desconforto tanto para os grevistas como para o comerciante. “Eu creio que para o bem de todos é importante que não haja comércio aberto, para que não haja violência nem exarcebação. Eu acho que a greve precisa ser tranquila, ela precisa ter a sua respeitabilidade no sentido de que seus direitos sejam respeitados. Agora, importante que exista a adesão, porque é uma greve que o trabalhador precisa ecoar o seu grito.

O petista enfatiza que a greve é a melhor maneira que os brasileiros encontraram para dizer não às reformas da Previdência e Trabalhista. “O trabalhador precisa nesse momento dar resposta a toda essa tentativa de retirada de direitos. Toda essa tentativa dessa política golpista que se implantou no nosso país e agora está querendo prejudicar os trabalhadores e isso os trabalhadores não irão permitir e sexta-feira a resposta vai ser dada”.

Marcos afirma que as principais categorias já decidiram que irão acatar a paralisação. “As principais categorias já fizeram assembleia, a exemplo de bancários, comerciários, têxteis, construção civil, então a greve ela vai ser uma das maiores da história, vai parar tudo. O sindicato da categoria dos comerciários já aderiu à greve geral, já fez um trabalho grande nas lojas, em todo o sistema comerciário e vai ser um dia de muita luta”.