Política

Operação Calvário: ‘Prestação de contas’ da propina era feita até em guardanapo; confira

09 de outubro de 2019

Até guardanapo era usado pela Organização Criminosa implantada nos governos do PSB para prestação de contas do dinheiro que foi drenado para corrupção e que poderia salvar vidas, seja por meio do socorro em unidades de saúde ou oportunidades em escolas e educandários na Paraíba. Pelo menos é o que deduz de um pedaço de guardanapo entregue pela ex-secretária de Administração dos governos Ricardo Coutinho e João Azevêdo, Livânia Farias.

Em depoimento ao Ministério Público da Paraíba (MPPB), Livânia apresentou o guardanapo que mostra inscrições manuscritas por Jardel Aderico, ex-secretário de Promoção da Paz de Alagoas, preso hoje na quinta Fase da Operação Calvário, é apontado como responsável por pagar propinas milionárias, indicando os acertos de propinas.

Isso, para o MP, mostra “notadamente os percentuais e os valores até então entregues em ‘prestação de contas da corrupção’.

No papel, registra Wallison Bezerra, em seu blog, estão inscritas algumas anotações com valores que somados ultrapassam R$ 4 milhões.