Política

Operação Calvário: Assessora da Cruz Vermelha que trouxe propina em avião manteve 6 ligações telefônicas com irmão de ex-governador paraibano

18 de outubro de 2019

A força tarefa da Operação Calvário e que trabalham em conjunto em vários estados  identificou seis ligações telefônicas, entre junho e agosto de 2018, entre os números registrados em nome de Michelle Cardoso, operadora da Cruz Vermelha Brasileira, e Coriolano Coutinho, irmão do então governador Ricardo Coutinho.

O registro está na denúncia do Ministério Público do Rio de Janeiro, após 8 meses de investigação detalhada com interceptação telefônica autorizada da Justiça, entre outros meios de prova, informa Marcelo José, em seu blog.

Os contatos, segundo a publicação, de Michelle Cardoso com Coriolano Coutinho foram destacados em relação a missão da assessora e operadora da Cruz Vermelha por determinação do controlador da CVB, Daniel Gomes : “Em complementação ao que já se afirmou, coube também a MICHELLE CARDOSO – sempre no cumprimento das determinações de DANIEL GOMES DA SILVA – manter contato com parentes de agentes políticos, e mais especificamente com CORIOLANO VIEIRA COUTINHO, irmão do Governador do Estado da Paraíba, RICARDO VIEIRA COUTINHO”, diz a peça acusatória.

O Ministério Público revela um número de telefone ativado por Michelle exclusivamente em comunicações relativos à organização criminosa, salienta a publicação.  “Com efeito, o histórico do terminal (21) 96806-5294, ativado por MICHELLE CARDOSO em junho de 2018 e utilizado exclusivamente para comunicações pertinentes à organização criminosa (apelidado de “big fone”), manteve
pelo menos seis telefonemas com o terminal (83) 98895-0040, registrado em nome de CORIOLANO COUTINHO (e gravado na agenda telefônica de DANIEL GOMES DA SILVA sob o apelido “CORI”)”, revela.

E na sequência informa os números, datas, horários, origem e destino, além do tempo de cada ligação telefônica. Foram seis ligações entre os dois números, registrados em nome de Coriolano Coutinho e Michelle Louzada Cardoso, a assessora que entregou caixa de vinho com dinheiro de propina, dia 8 de agosto de 2018, a Leandro Azevedo, ex-assessor de Livânia Farias, e viajou em avião particular para João Pessoa, em 2014 com malas de propina para campanha eleitoral.

Ainda conforme o blog, das seis ligações cinco são originadas de Michelle para Cori, e uma originada de Cori. Uma das ligações de Michelle Cardoso para Coriolano Coutinho ocorreu dia 17 de agosto de 2018, data em que a própria Michelle havia reservado hospedagem para Daniel Gomes em hotel , na praia de Manaíra, em João Pessoa. A assessora também havia comprado passagem aérea para o chefe se deslocar do Rio de Janeiro para a Capital, no dia 16 de agosto.