Política

Livania conta em depoimento que pagamento a escritório foi feito mesmo sem contrato e revela que propina abasteceu campanha de ex-governador

05 de setembro de 2019

Em delação aos promotores do Grupo de Atuação Especial contra o Crime Organizado (Gaeco), a ex-secretária Livania Farias, sugere que Gilberto Carneiro tinha tanta pressa em acelerar o propinoduto na Prefeitura de João Pessoa, na época do então prefeito Ricardo Coutinho (PSB), que efetivou os serviços do escritório de advocacia Bernardo Vidal mesmo sem contrato, inclusive dando início aos pagamentos pelos serviços. “Verifiquei que o que tinha era uma minuta e aí tivemos que corrigir algum tempo depois, trocando e substituindo páginas para deixar tudo em forma de contrato, contou.

Trechos do depoimento do acordo de colaboração premiada da ex-secretária de Administração do Estado, Livânia Farias, na qual dá detalhes sobre o pagamento de propina feito pelo escritório de advocacia Bernardo Vidal a Gilberto Carneiro, Coriolando Coutinho, irmão do ex-governador Ricardo Coutinho, foram exibidos pela TV Cabo Branco.

Segundo Livânia, Bernado Vidal lhe confidenciou que a propina paga a Coriolano seria para abastecer a campanha eleitoral do PSB, em 2010, na qual Ricardo concorreu, pela primeira vez, ao cargo de governador. “Coriolando recebia (propina) para o período eleitoral”, afirmou Livânia. Em relação à quantia paga a Gilberto Carneiro, Bernardo não confidenciou se o dinheiro seria para campanha eleitoral.

Veja o depoimento de Livânia sobre o assunto: