Política

Com presença de irmã do governador, vereadores de Bayeux editam “indulto de ano novo” e livram Berg Lima de cassação

30 de dezembro de 2017

Os vereadores da Câmara Municipal de Bayeux protagonizaram mais um vergonho capítulo na história da cidade ao editarem uma espécie de “indulto de ano novo” para o prefeito afastado Berg Lima (sem partido), preso  recentemente numa ação controlada do Ministério Público e da Polícia Civil em que o o gestor foi flagrado recebendo propina de um fornecedor da Prefeitura. Com direito a “torcida” de uma irmã do governador Ricardo Coutinho (PSB), que marcou presença na sessão, e por um placar de 11 votos favoráveis e 7 contrários, os vereadores da cidade de Bayeux arquivaram o processo de cassação do mandato do prefeito.

Berg Lima está afastado do cargo desde o dia 5 de julho quando foi preso em uma operação da Polícia Civil e do Ministério Público Estadual. Ele foi solto no dia 28 de novembro após passar quatro meses em uma carceragem do 5º Batalhão de Polícia Militar.

A irmã do governador Ricardo Coutinho (PSB), Sandra Coutinho, não se contentou apenas em manifestar apoio ao prefeito afastado de Bayeux, Berg Lima, nas redes sociais. Sandra fez questão de comparecer, pessoalmente, à sessão de julgamento de Berg para intimidar até aliados, conforme informações reveladas pelo jornalista Anderson Soares em seu Blog.

Sandra Coutinho ao centro de blusa azul, cores da campanha de Berg Lima.

A votação do processo prosseguiu da seguinte forma, o “NÃO” era pela absorverão, e o “SIM”, era pra cassação do mandato: Confira os votos dos 17 vereadores.

1º Adriana do Taxi / Não
2º Vereadora França / NÃO
3º Vereador Inaldo Andrade / SIM
4º Vereador Jeferson Kita / Não
5º Vereador Josauro Pereira / SIM
6º Vereador Netinho / Não
7º Vereador Lico / NÃO
8º Vereador Guedes / NÃO
9º Vereador Zé Baixinho / NÃO
10º Ten. Ricardo / NÃO
11º Vereadora Luciene / SIM
12º Vereadora Dedeta / SIM
13º Vereador Betinho RS / SIM
14º Vereador Roni Alencar / SIM
15º Vereador Rubens / SIM
16ºVereador Nouquinha / Não
17ºVereador Edson Orelha / NÃO

Apesar da decisão da Câmara, Berg Lima não poderá assumir o cargo porque foi proibido pela Justiça de voltar a Prefeitura.