Opinião

Adriano Galdino e a capacidade de gerar consensos em meio aos dissensos, por Ivandro Oliveira

19 de junho de 2019

Adriano Galdino e a capacidade de gerar consensos em meio aos dissensos

Por Ivandro Oliveira

No almoço que comandou com os deputados estaduais no dia de ontem, no tradicional Cassino da Lagoa, no coração da Capital de todos os paraibanos, no deslinde do chamado semestre legislativo da Casa de Epitácio Pessoa, o presidente Adriano Galdino mostrou que o exercício da liderança passa necessariamente pela capacidade de articulação e de diálogo com os demais pares e estruturas conexas do Estado, não no sentido restrito da palavra, mas na amplitude de sua dimensão institucional. Após esforço concentrado para limpar a pauta e entrar em recesso, Adriano reuniu em torno de si parlamentares de oposição e situação num singelo, porém simbólico almoço de confraternização, para celebrar um ambiente de harmonia que transpôs os próprios limites da casa que dirige.

Não por acaso, a presença do desembargador Márcio Murilo da Cunha Ramos, presidente do Tribunal de Justiça da Paraíba, é o atestado mais eloquente de que a Assembleia Legislativa sob a batuta de Adriano Galdino vive um novo tempo, sem mais espaços para os infrutíferos dissensos de outrora e sendo palco de grandes consensos, como o que germinou o descongelamento do duodécimo dos poderes. Após quatros anos sem reajuste e com muitos embates entre os poderes, a Lei de Diretrizes Orçamentárias (LDO) aprovada, ontem, prevê o resgate de uma dívida com os poderes e só isso é o bastante para sublinhar a capacidade do presidente do poder legislativo em transformar interesses divergentes em causas convergentes.

E se liderar é sempre uma tarefa complexa, por envolver um conjunto de habilidades, especialmente a condição de unir interesses em torno de objetivos e ideais em comum, o campinense, que iniciou sua trajetória política em Pocinhos e que ganhou a Paraíba pela simplicidade de gestos  e autenticidade de atos, tem todo o direito de comemorar os primeiros feitos de uma gestão marcada pela conciliação de anseios políticos e sociais.

Ao término da primeira etapa de uma missão que só termina em 2022, o presidente Adriano Galdino sabe que o clima de total harmonia construído até aqui exigiu muito trabalho e participação, não dos seus pares, que comemoram os resultados da produção legislativa no primeiro semestre, mas, sobretudo, do governador João Azevêdo (PSB), muito mais afeito ao diálogo que o seu antecessor, o ex-governador Ricardo Coutinho, ambos do PSB. Neste sentido, registre-se a articulação de Galdino junto ao chefe do executivo estadual na construção do consenso necessário e que culminou com o reajuste acima de 7% aos poderes.

Michael Jordan, considerado o melhor jogador de basquete de todos os tempos, disse certa vez que “existem pessoas que apenas querem que algo aconteça e outras que tomam uma atitude e fazem acontecer.” A frase do gênio do basquete cai como uma luva no saldo extremamente positivo do primeiro semestre da Casa de Epitácio Pessoa sob a batuta de Adriano Galdino, que não só ratificou o perfil aglutinador, como enalteceu a capacidade executiva do presidente do poder legislativo em demover obstáculos e transpor barreiras antes irremovíveis.