Paraíba

Primeira-dama prestigia 75 anos do Instituto dos Cegos e visita Espaço Cultural

16 de maio de 2019

A primeira-dama Ana Maria Sales Lins prestigiou, na manhã desta quinta-feira (16), as comemorações alusivas aos 75 anos do Instituto dos Cegos da Paraíba Adalgisa Cunha e visitou o Espaço Cultural José Lins do Rego, em João Pessoa.

No Instituto dos Cegos, Ana Maria Lins parabenizou todos os funcionários do local pela missão e sensibilidade de trabalhar em prol da inclusão social e ressaltou o empenho do Governo do Estado para ajudar na manutenção das instituições. “O Instituto dos Cegos desempenha um trabalho de referência em toda a Paraíba e hoje é um dia de comemoração e uma oportunidade de destacar que a gestão estadual vem contribuindo significativamente para a manutenção da instituição porque investimos com seriedade em políticas públicas”, afirmou.

A secretária de Desenvolvimento Humano, Neide Nunes, destacou que o Governo renovou, este ano, o convênio com o Instituto dos Cegos. A entidade receberá R$ 250 mil, por meio do Fundo de Combate e Erradicação da Pobreza no Estado da Paraíba (Funcep), que serão investidos nas aquisições de cadeiras e de materiais de consumo permanente e de uso diário. “A Paraíba tem 1,2 milhão de pessoas com deficiência e as ações que o Governo da Paraíba vem desenvolvendo têm feito a diferença na vida das pessoas e não seria diferente com as pessoas com deficiência visual”, frisou.

O presidente do Instituto dos Cegos, José Antônio Ferreira Freire, afirmou que as pessoas com deficiência visual passaram a ter vez e voz na Paraíba a partir da criação da instituição. “Nós atendemos mais de 540 pessoas por mês e desenvolvemos trabalhos de reabilitação, educação, esporte e preparo para o mercado de trabalho e esse é um momento de muita alegria porque comemoramos a inserção de muitos deficientes visuais no mercado de trabalho e a maioria deles passou por aqui”, falou.

Frequentador do Instituto dos Cegos há quatro anos, Samuel Vasconcelos disse que sua vida melhorou completamente após ingressar no local. “Minha coordenação motora está melhor, pratico muitos esportes, toco flauta, bateria, teclado e violão e estou muito satisfeito com as atividades que desenvolvo aqui”, contou.

Em um relato emocionado, Maria Vanda da Silva disse que está realizada e grata pelo atendimento recebido no Instituto. “Eu cheguei aqui com o meu coração partido em 200 pedaços e, agora, eu me sinto como se estivesse no paraíso. Aqui dentro nós não somos cegos, somos gente porque lá fora muitas pessoas não nos respeitam. Eu fui muito bem recebida e sou muito bem tratada, tanto que não dá vontade de ir para casa. Além disso, fiz muitas amizades, todo mundo se dá bem e a minha felicidade encontrei aqui”, disse.

A dona de casa Amanda Souza também enalteceu o trabalho desenvolvido pela instituição com sua filha. “Hoje, o desenvolvimento dela está bem melhor em relação ao que era antes. Aqui ela faz natação, braille, arte, yoga, o que tem melhorado a qualidade de vida dela e eu me sinto tranquila como mãe porque ela está bem encaminhada”, comentou.

História do Instituto dos Cegos da Paraíba– A instituição foi fundada em 15 de maio de 1944 por Adalgisa Duarte da Cunha, na cidade de João Pessoa. Desde a sua fundação, o Instituto atua na educação dando oportunidade ao deficiente visual de ter acesso a uma educação acessível às suas limitações e assim poder adquirir conhecimento. Atualmente, o Instituto oferece atendimento que vai do recém-nascido até a melhor idade. Aos recém-nascidos são oferecidos os serviços de estimulação visual, fisioterapia, fonoaudiologia e terapia ocupacional conforme o seu desenvolvimento. Para as crianças e adultos são ofertadas a comunicação alternativa através da música e alfabetização em braille, dentre outros serviços.

Visita ao Espaço Cultural José Lins do Rêgo – Ainda nesta quinta-feira pela manhã, a primeira-dama conheceu as instalações do Cine Banguê, da biblioteca, do planetário e o local onde está sendo construído o Memorial Abelardo da Hora.

Na ocasião, Ana Maria ressaltou a importância do Espaço Cultural para a Paraíba. “A nossa cultura é muito rica, esse é um Espaço que realmente merece ser cuidado e, por isso, tem uma atenção toda especial do Governo que desenvolve grandes ações na área cultural”, afirmou.

A presidente da Fundação Espaço Cultural (Funesc), Nézia Gomes, agradeceu a visita da primeira-dama. “Ela veio conhecer o que o Espaço Cultural está fazendo com uma estrutura e equipamentos importantes para a Paraíba e, além disso, veio acompanhar as ações permanentes que são desenvolvidas com a manutenção em dia após a reforma”, falou.

A superintendente da Suplan, Simone Guimarães, responsável por apresentar à primeira-dama o trabalho de construção do Memorial Abelardo da Hora, destacou a importância do espaço para a cultura paraibana. “A obra dele diz por si só a grandiosidade do que ele fez e nós estamos investindo cerca de R$ 800 mil na obra que será entregue até o final de julho. O ambiente é dividido em duas grandes áreas – uma para acolher as grandes obras de arte e outra para as menores – e também terá sala para restauro, ou seja, foi tudo pensado para acolher muito bem essas grandes esculturas”, comentou.

O Memorial Abelardo da Hora vai abrigar o maior acervo expressionista do Nordeste. Avaliado em R$ 11 milhões, o acervo é composto por toneladas de obras esculpidas em concreto e bronze, além de pinturas e desenhos, doadas ao Governo da Paraíba pela família do artista.

Secom-Pb