Paraíba

Egresso de Centro Socioeducativo consegue espaço no mercado de trabalho

15 de agosto de 2019

Uma conquista para celebrar. A Fundação Desenvolvimento da Criança e do Adolescente Alice Almeida (Fundac) por meio do Serviço Egresso conseguiu inserir um jovem de 19 anos, que passou pelo Centro Socioeducativo Edson Mota (CSE), no mercado de trabalho. Através da interlocução entre Fundac e o Sine, o Serviço Egresso conseguiu viabilizar a oportunidade para o socioeducando.

O rapaz tem o ensino médio completo (concluiu na Escola Estadual Integral Socioeducativa Almirante Saldanha, no CSE, e muita força de vontade. Além de querer trabalhar, quer se graduar em Direito. “Pretendo entrar na faculdade, cursar Direito e me formar, se Deus quiser”, planeja.

Solteiro e sem filhos, ele disse que a vida hoje se resume ao trabalho. De segunda a sábado, o rapaz se debruça na atividade que lhe foi conferida por mérito. Como qualquer candidato a uma vaga de emprego, ele se submeteu a prova de conhecimento, entrevista e passou em todas as etapas do processo seletivo.

“Do meu passado eu não gosto muito de falar, mas me arrependo sim, muito, do que fiz”, relatou o jovem que ainda contou que foi por má influência que trilhou por maus caminhos. “Eu não gostava de viver dependendo do meu pai, procurei emprego em vários cantos, ainda cheguei a arrumar alguns, mas como era menor de idade, o Conselho Tutelar batia em cima, acabei me envolvendo por mundos estranhos” comentou.

O presidente da Fundac, Noaldo Meireles, disse que a oportunidade de emprego possibilita ao egresso refazer seu caminho, construir uma nova vida, pois a falta de renda contribui para a internação. “Este é um jovem vencedor e estamos muito felizes por ele”, destacou.

A coordenadora do Serviço Egresso, Celyane Souza, explicou que o eixo objetiva acompanhar e monitorar os egressos do Sistema Socioeducativo do meio fechado e uma das abordagens para a efetivação desse acompanhamento é contribuir na profissionalização e inserção no mercado de trabalho.

“A importância dessa abordagem é garantir a interlocução com o Sine Estadual e viabilizar vagas para o mercado de trabalho, bem como verificar em alguns órgãos a oferta de cursos profissionalizantes para qualificar o egresso”, informou. Ela destacou também que esse fator contribui no fortalecimento do egresso e no seu perfil profissional, por isso o Serviço Egresso está em conexão com Eixo Profissionalização.

Celyane disse que os desafios são muitos. “Muitas das vagas que são ofertadas no mercado de trabalho exigem o ensino médio completo e cursos de caráter profissionalizantes e complementares daí a falta dessa formação no currículo do candidato esbarra no acesso a vagas de emprego, resultando na dificuldade de ingresso no mercado de trabalho e, consequentemente, levando o egresso para o mercado informal e sem condições apropriadas de trabalho”.