Esporte

Zagueiro de origem, Luan Peres pode ser “sombra” de Jorge na lateral esquerda do Santos

15 de agosto de 2019

Além de ter indicado que Victor Ferraz deve retornar ao time titulardo Santos no duelo contra o Cruzeiro, neste domingo, o técnico Jorge Sampaoli deu outro “spoiler” no treino da última quarta-feira, mas não em relação à escalação: Luan Peres, zagueiro contratado do Brugge, da Bélgica, no início do mês, deve virar espécie de “sombra” a Jorge na lateral esquerda do Santos.

Foi nesta posição que Luan Peres atuou nos trabalhos de bola parada antes de a imprensa ser convidada a se retirar do CT Rei Pelé. Ele esteve na linha defensiva reserva, ao lado do lateral-direito Pará e dos zagueiros Felipe Aguilar (que cumprirá suspensão no Mineirão) e Luiz Felipe.

Três situações ajudam a explicar a possível utilização de Luan Peres na lateral esquerda:

  1. Concorrência na zaga: Lucas Veríssimo, Felipe Aguilar, Gustavo Henrique e Luiz Felipe, além dos jogadores da base (Wagner Leonardo e Kaique Rocha), são outras opções de Sampaoli para o setor;
  2. Mudança de posição de Felipe Jonatan: nos últimos jogos, o lateral-esquerdo tem sido utilizado por Sampaoli no meio de campo, como um segundo volante que infiltra bastante no ataque, o que “abre uma vaga” de substituto para Jorge, titular absoluto.
  3. Versatilidade: o próprio Luan Peres, em sua coletiva de apresentação, já havia cantado a bola de que estaria à disposição para jogar na lateral, função que desempenhou durante sua passagem pelo Brugge, onde foi pouquíssimo utilizado em jogos oficiais.

– Futebol moderno exige mais de uma posição. No Brugge tive poucos jogos como zagueiro, joguei como meia ou ala. Três zagueiros e eu aberto, como na Champions League. Se ele precisar de mim no meio, lateral, zagueiro ou ala, estarei à disposição – disse Luan Peres, no início deste mês.

Reforços na expectativa por estreia

Além de Luan Peres, o lateral-direito Pará e o atacante Venuto, também recém-contratados pelo Santos, vivem a expectativa de estrear pelo novo clube.

O trio até foi relacionado para o clássico contra o São Paulo, no último sábado, mas não deixou o banco de reservas. A forte concorrência e o fato de terem chegado no meio da temporada e tido pouco tempo para absorver as ideias de Sampaoli são empecilhos.