Esporte

A três semanas de primeira decisão, Rogério tem desafio de mudar filosofia do Cruzeiro

15 de agosto de 2019

A era Rogério Ceni começou na última terça-feira no Cruzeiro, e o treinador terá que conciliar duas situações nas primeiras semanas de trabalho: implantar a filosofia de jogo que pretende e, ao mesmo tempo, conseguir resultados que comecem a melhorar a situação no Campeonato Brasileiro e também inverter a situação nas semifinais da Copa do Brasil, que ocorrem daqui a três semanas.

Acostumado ao estilo de jogo de Mano Menezes, marcado pelas características defensivas, o Cruzeiro vive uma nova era em termos de jogo. Ceni já disse que procura em sua equipe intensidade e velocidade pelas pontas. Um estilo ofensivo, algo pedido pela torcida cruzeirense. Serão três semanas de muito trabalho, com jogos pelo Brasileiro e a decisão na Copa do Brasil.

Calendário cruzeirense nas próximas três semanas:

  • Cruzeiro x Santos, domingo, no Mineirão, pelo Brasileiro
  • CSA x Cruzeiro, 25/08, em Maceió, pelo Brasileiro
  • Cruzeiro x Vasco, 01/09, no Mineirão, pelo Brasileiro
  • Internacional x Cruzeiro, 04/09, no Beira-Rio, pelo segundo jogo da semifinal da Copa do Brasil

Na zona do rebaixamento com 11 pontos, o Cruzeiro tem dois confrontos diretos: contra o CSA (penúltimo com oito pontos) e Vasco (15º lugar com 17 pontos). Na Copa do Brasil, precisará inverter a desvantagem, após a derrota por 1 a 0 para o Internacional, no Mineirão.

Rogério Ceni, na entrevista de apresentação, disse que não será possível mudar de uma vez o Cruzeiro, mas aos poucos, tentando fazer a equipe jogar de maneira mais rápida e com as ideias do novo treinador.

– O número de treinamentos (é um desafio). Quando você repete muito treino, você vai automatizando, faz seu time jogar de uma maneira clara. Nós temos que tentar mudar aos poucos. Vamos tentar implementar o máximo possível a maneira como gosto de jogar. Se os jogadores quiserem comprar a ideia, capacidade eles têm. A ideia é fazer com que o time se adapte ou que a gente encontre a melhor circunstância para colocar esse time em campo. A ideia, sim, é de fazer um time cada vez mais rápido. É o modo que eu vejo futebol.

Na estreia, contra o Santos, domingo, às 16h (de Brasília), no Mineirão, Ceni terá a missão de encerrar o jejum de vitórias do Cruzeiro no Brasileiro, que já dura 11 jogos – igualando a pior sequência, em 2011. Uma vitória pode não só ser um começo com o pé direito do novo treinador cruzeirense, como também tirar a equipe da zona de rebaixamento, já que uma vitória e um tropeço do Fluminese, com 12 pontos (um a mais do que a Raposa), fazem a equipe deixar o Z-4.