Cotidiano

Cidades Sustentáveis: João Pessoa melhora indicadores sociais e de mobilidade

12 de dezembro de 2017

Levantamento realizado pela Rede de Monitoramento Cidadão, que faz o acompanhamento do João Pessoa Cidade Sustentável, aponta avanços em indicadores sociais, ambientais e de gestão do município, nos últimos quatro anos, e mostra a Capital paraibana como a que mais avançou na implantação do projeto entre os seis municípios brasileiros que integram o conjunto de Cidades Emergentes e Sustentáveis do Banco Interamericano de Desenvolvimento (BID). João Pessoa já está na última das etapas estabelecidas pelo BID, que é a de liberação do financiamento das ações estruturantes.

João Pessoa também avançou no nível de satisfação da população com a melhoria em serviços essenciais, como o de habitação, conforme pesquisa de opinião pública realizada pela Baobá Práticas Sustentáveis, agência contratada pelo BID para coordenar o trabalho das redes de monitoramento no país.

As redes são compostas por entidades da sociedade civil organizada e acompanham de perto a implementação de políticas públicas voltadas para o desenvolvimento das cidades beneficiadas pelo projeto. A rede de João Pessoa realizou uma solenidade nesta terça-feira (12), na sede da OAB, para apresentar a pesquisa e um novo relatório sobre a evolução de um leque de 132 indicadores de sustentabilidade no município.

Entre os indicadores positivos que mais avançaram estão, no caso da saúde, a redução da mortalidade infantil, o aumento na oferta de leitos hospitalares e de médicos, além do aumento na expectativa de vida das pessoas. Nas questões sociais, a redução da pobreza e o menor número de moradias em assentamentos informais. Na mobilidade, a redução da idade média da frota e a ampliação das vias de transporte público. Outro aspecto relevante é o da melhoria do ambiente de negócios, com maior velocidade na concessão de licenças. Com relação à pesquisa de opinião pública, há uma elevada percepção de insegurança no município, que entre o levantamento de 2013 e o divulgado agora, cresceu de 59% para 66%.

Esta é a segunda rodada de pesquisa de opinião e de atualização dos indicadores. A primeira ocorreu quatro anos atrás, no último trimestre de 2013, no início da implantação do João Pessoa Cidade Sustentável. Os dados foram apresentados por Fernando Penedo, diretor da Baobá e coordenador das redes de monitoramento cidadão, e por Denise Gadelha, que assumiu a coordenação da rede pessoense. Na pesquisa de opinião, foram entrevistadas 1.032 pessoas nos 64 bairros da cidade.

O João Pessoa Cidade Sustentável é um planejamento de longo prazo que já vem sendo executado com o objetivo de assegurar o desenvolvimento do município ao longo dos próximos 30 anos, quando atingirá a marca de mais de 1 milhão de habitantes. O projeto prevê a implantação de um conjunto de 60 intervenções estruturantes, a exemplo da urbanização do Complexo Beira Rio, que é um conjunto de comunidades de baixa renda ao longo do Rio Jaguaribe. Para implementá-las, o BID já autorizou a liberação de um financiamento de US$ 100 milhões (cerca de R$ 330 milhões) para a prefeitura. A liberação dos recursos já está tramitando na Secretaria do Tesouro Nacional.

Na avaliação do vice-prefeito Manoel Junior, que participou da solenidade, todo o trabalho desenvolvido por meio do projeto é um legado que ficará para as próximas gerações e administrações públicas. Um legado, segundo ele, que tem como meta assegurar a manutenção de uma marca importante da Capital, que é sua qualidade de vida. “Queremos crescer com qualidade e garantindo uma vida melhor para as pessoas. E é muito importante poder deixar esse legado à cidade, fruto de um trabalho técnico intenso e feito com controle social, com acompanhamento da sociedade”, afirmou. “Agora, com os indicadores e os resultados da pesquisa apresentados hoje, vamos fazer ajustes e correções para melhorar o que precisa ser melhorado nas políticas públicas do município”, acrescentou.

Da Redação (com Assessoria)

Foto: José Luiz